quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Só de tempo e desempenho vive o atleta?



O prazer de cruzar a linha de chegada é inenarrável. Quem já teve essa experiência sabe do que estou falando. Sabendo disso, se imagine chegando e por dentro aquela alegria e... Não, você não está chegando. Isso aconteceu com o atleta queniano Abel Kiprop Mutai, medalhista olímpico nos 3.000 m com obstáculos de Londres-2012.

Agora se ponha no lugar do segundo colocado. No fundo você sabe que em hipótese nenhuma ao longo do que desenvolveu na prova, seria capaz de alcançar o primeiro lugar e de repente o vê parando, e meio que desistindo da prova. Sua chance de chegar ao lugar mais alto do pódio está ali, batendo a sua porta e... Não, você não vence a corrida. Isso aconteceu com o atleta espanhol Iván Fernández Anaya, 24 anos.

Ao ver Mutai cometer um engano, Anaya chamou sua atenção sobre a falha, e sem entender, o atleta do Quênia foi praticamente levado até a linha de chegada pelo espanhol. De acordo com Anaya "Ele (Mutai) era o vencedor com justiça, me impôs uma distância que eu já não podia superar se ele não errasse. Desde que vi que ele parou, eu sabia que não ia passá-lo", "Eu não merecia ganhá-lo. Fiz o que tinha que fazer". A atitude do atleta de 24 anos teve uma repercussão maior do que se tivesse “vencido” a prova, e mostrou que esse tipo de atitude (gentileza, honestidade) nunca é demais.

A questão que fica é “Só de tempo e desempenho vive o atleta”?

6 comentários:

  1. mlozakihotmail.com25 de janeiro de 2013 08:29

    Atitudes como essa é muito dificil de se ver hoje em dia, mas isso prova que nem tudo esta perdido. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente mãe! Ainda bem que nem tudo está perdido...

      Excluir
  2. E aí PAulo, blz.

    o espanhol foi feliz em sua atitude, mas ele estava certo que o concorrente era mto superior. Difícil é ver atitudes dignas como essa qdo os concorrentes estão em mesmo patamar !

    Abraços,

    Rodrigo Augusto
    corridaderuams.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodrigo, obrigado pelo visita!
      Realmente, talvez se estivessem correndo juntos a atitude fosse diferente, mas ainda sim foi uma atitude nobre.

      Abraços!

      Excluir
  3. Esse foi o verdadeiro Fair Play, ele poderia muito bem ter passado e ganhado, são atitudes nobres que fazem a diferença no esporte.

    Forte Abraço

    Léo

    www.pisandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Grande Paulo.
    Esse corredor deu um show... com a atitude...
    Demais.
    Valeu
    Rafael
    marroneocorredor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir